5 mitos sobre dores nas costas

Aqui no blog já falamos algumas vezes sobre o assunto, dores nas costas. Infelizmente é tão comum as pessoas sentirem esse desconforto que vamos falar do tema repetidamente. O post de hoje é para desmistificar algumas questões sobre o assunto. Por acaso, quem nunca ouviu a mãe ou até mesmo a vó dizer; não faz isso que pode piorar a dor ou faz assim que vai melhorar?

Segundo o fisioterapeuta e pesquisador, Chris McCarthy – Manchester Metropolitan University, no Reino Unido, “as evidências científicas mostram que muitas das suposições feitas em relação à lombalgia são erradas, e ainda pior, podem ser prejudiciais.”

Percebendo os erros comuns que as pessoas estavam praticando, sem fundamento, o especialista resolveu listar 5 mitos sobre a dor nas costas (o conteúdo original está em inglês, aqui).

Mito 1: Mover-se vai fazer a dor piorar
Manter-se em movimento é essencial e isso inclui giros e flexões. Os músculos que estão tensionados por causa da dor relaxam com movimentos sutis e alongamentos. O segredo é começar aos poucos, com pequenos movimentos e, à medida em que o corpo for respondendo ao estímulo, ir aumentando.

Mito 2: Evite exercícios, especialmente o treino com pesos
Não deixe a dor nas costas lhe impedir de fazer exercícios ou atividades que você goste. As pesquisas mostram que manter-se ativo ajuda na recuperação – e até mesmo o treino com pesos pode ser benéfico. Claro, após um episódio de dor aguda, não se deve retornar imediatamente aos níveis de atividade física que você realizava antes do problema surgir. É preciso ir com calma.

Mito 3: Um raio-x é capaz de mostrar exatamente o que está errado com sua coluna
Infelizmente, isso não é verdade. A correlação entre o que é possível perceber através do exame de imagem e as origens da dor é fraca. A maior parte dos adultos que não tem dor nas costas apresenta mudanças na anatomia da coluna. Elas são mudanças normais, causadas pelo envelhecimento, mas que não causam problemas. Seriam o equivalente às rugas na pele: são alterações visíveis, mas que não causam dor. Em menos de 1% da vezes é possível encontrar a origem da dor nas costas por meio de um exame de imagem.

Mito 4: Dor é igual a danos
Antigamente acreditava-se que a intensidade da dor sentida seria diretamente proporcional ao dano encontrado na coluna. Hoje já se sabe que a intensidade da dor tem menos a ver com o dano em si e muito mais com a maneira como a pessoa, consciente ou inconscientemente, interpreta a dor. Influências culturais, trabalho, estresse, experiências anteriores de dor, a duração dos sintomas… todos esses fatores devem ser levados em conta para entender por que a intensidade da dor muda de uma pessoa à outra.

Mito 5: Mochilas pesadas causam dor nas costas
Não existe uma ligação bem estabelecida entre o peso das mochilas escolares e o surgimento de dor nas costas, mas já se observou que há relação entre o surgimento de dor e a percepção, seja pelos pais ou pela própria criança, de que o peso da mochila pode causar problemas. Para McCarthy, o problema é que a dor nas costas é um problema tão comum que as pessoas acabam pondo a culpa em pequenos atos do cotidiano, como carregar peso. “Ter um episódio de dor na coluna é normal durante a vida. Na maior parte dos casos, a dor vai embora rapidamente. Caso isso não aconteça, é importante buscar um profissional de saúde e orientação sobre o que deve ser feito para a recuperação”, diz o especialista.

Ainda não conhece a nossa loja virtual? Acesse e confira a variedade de produtos ergonômicos regulamentados pela NR17 que auxiliam na correção da postura e ajudam a evitar dores e lesões graves em seu corpo. E também curta a nossa fanpage www.facebook.com/reliza.brasil 😉

Até a próxima 🙂
Abraços

Comente!

Nossos Clientes

Vídeos de Produtos

Depoimentos