Dor crônica, o que é e como se sentir melhor

Sentir e ter que conviver com dor não é nada fácil. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) cerca de 30% de população mundial sofre com dor crônica. Tais condições podem incluir síndrome miofascial, fibromialgia, lombalgia, entre outros. E como algumas mudanças, como correção postural, relaxamento e exercícios podem, amenizar e fazer você se sentir melhor?

 

Primeiro vamos entender o que é DOR?

A IASP (Associação para Estudo da Dor) “define como uma experiência sensorial e emocional desagradável associada a um dano tecidual real ou potencial, ou descrita em termos de tal dano.” 

É fato que não buscamos descobrir e tratar a dor quando ainda é um problema discreto, em fase inicial. Só procuramos um médico quando a situação se agrava, tornando-se insuportável. Segundo o neurologista José Geraldo Speciali, da Sociedade Brasileira para Estudos da Dor (SBED), “toda dor é um alerta que o corpo manda para manter sua integridade – uma dor aguda no peito, por exemplo, pode indicar um infarto”. Quando entendemos os sinais que o corpo está avisando, podemos evitar o agravamento da dor e surgimento de problemas mais sérios. Porém, existem dores crônicas que não avisam, como é o caso da artrose e artrite reumatoide.

 

Coloque seu e-mail abaixo e receba as
atualizações do nosso blog em primeira mão.


 

O QUE É DOR CRÔNICA?

É uma doença do sistema nervoso central e que é definido como uma “dor sem valor biológico aparente e que persiste além do tempo normal de cura,” que pode ser contínua ou intermitente (AISP, 2007). Este tempo pode variar entre 3 a 6 meses.

Quando o tecido sofre um trauma, ocorre uma liberação de substâncias químicas que imediatamente são detectadas pelas terminações nervosas. É disparado um impulso elétrico na parte posterior da medula espinal. Neste momento, um grupo de neurônios transmite para o córtex cerebral, área responsável pela cognição.

A dor crônica não está limitada a causar problemas somente físico, mas ela causa condições negativas no comportamento e também psicológico de quem sofre constantemente. Muitas pessoas desenvolvem depressão, sensações de perda, lembranças ruins e deficiências psicomotoras.

Vamos usar como exemplo, para ilustrar o post de hoje, uma das dores que afetam 50% da população com até 20 anos e cerca de 80% com até 80 anos: a lombalgia ou dor lombar. Essa que pode ser também uma dor aguda, quando é só um “mau jeito” (uma dor forte que aparece depois de um esforço físico) e crônica, quando a dor é intensa e contínua.

Causas da Lombalgia – geralmente, o problema é postural, ou seja, sentar, caminhar, abaixar ou carregar algum objeto com a postura incorreta. Também pode surgir devido a alguma inflamação, infecção, hérnia de disco, artrose, entre outros problemas.

 

COMO SE SENTIR MELHOR?

Lidar com a dor persistente é um grande desafio. Existem alguns recursos que são possíveis de aplicar para que a dor seja amenizada e que você possa ter uma melhor qualidade de vida. Mas tudo depende de atitude e mudança de hábitos. Muitas dessas mudanças dependem exclusivamente de você, mas tenha certeza que valerá a pena.

O objetivo principal para ajudar a prevenir e também amenizar as dores constantes é fortalecer a musculatura que sustenta o corpo, como musculatura abdominal, dorsal e estabilizadora da coluna. Corrigir a postura utilizando equipamentos que auxiliam a manter a coluna ereta também ajuda a evitar a dor lombar. Se o seu caso já é de dor crônica, a ergonomia também auxilia na melhor qualidade de vida e bem-estar, reduzindo as dores frequentes.

 

O QUE EU POSSO FAZER?

  • REEDUCAÇÃO POSTURAL: corrigir a postura é fundamental: coluna ereta ao sentar, caminhar e até ao dormir. Se você trabalha horas sentado à frente do computador, por exemplo, utilize suporte monitor e de notebook e ainda suporte para os pés. Estes equipamentos ergonômicos foram criados para ajudar e auxiliar a correção da postura.
  • MOVIMENTE-SE: talvez você pense que é preciso ficar em repouso, até é, mas exercitar-se neste momento é uma boa ideia (verifique antes com o seu médico, cada caso requer orientações específicas). Fortalecer os músculos da região com atividades físicas, como yoga, meditação, atividades aeróbicas, entre outros é importante (fale com um educador físico sobre a sua situação, ele fará as orientações necessárias).
  • ALIMENTE-SE BEM: comer bem sempre é importante. Procure fazer uma dieta balanceada que ajudará a manter o seu corpo mais saudável.
  • FISIOTERAPIA: exercícios para fortalecer, alongar e recuperar os músculos.
  • RELAXAMENTO: meditação, técnicas de respiração e até ouvir música ajuda a relaxar cada parte do corpo. Você se sentirá melhor e preparado para lidar com a dor.
  • MASSAGEM TERAPÊUTICA: ajuda a aliviar as tensões dos músculos. Informe a sua condição antes de iniciar a massagem.

 

Até a próxima semana.
Abraços

Comente!

Nossos Clientes

Vídeos de Produtos

Depoimentos